Archive for the SAÚDE Category

Depressão será a doença mais comum do mundo em 2030, diz OMS

Posted in NOTICIAS, SAÚDE on 2 de Setembro de 2009 by os.maias

Plantão | Publicada em 02/09/2009 às 12h51m

BBC var pCid=”uk_bbc_0″; var w0=1; var refR=escape(document.referrer); if (refR.length>=252) refR=refR.substring(0,252)+”…”; var w0=0; var imgN=’‘; document.write(imgN);

    if (qtdrec != ”) { //var mediarec = (parseInt(notasrec)/parseInt(qtdrec)) media_estrelas_recomendar(qtdrec, notasrec); } else { media_estrelas_recomendar(1,0); }

Dados divulgados nesta quarta-feira pela Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que, nos próximos 20 anos, a depressão deve se tornar a doença mais comum do mundo, afetando mais pessoas do que qualquer outro problema de saúde, incluindo câncer e doenças cardíacas.

Segundo a OMS, a depressão será também a doença que mais gerará custos econômicos e sociais para os governos, devido aos gastos com tratamento para a população e às perdas de produção.

De acordo com o órgão, os países pobres são os que mais devem sofrer com o problema, já que são registrados mais casos de depressão nestes lugares do que em países desenvolvidos.

Atualmente, mais de 450 milhões de pessoas são afetadas diretamente por transtornos mentais, a maioria delas nos países em desenvolvimento, segundo a OMS. As informações foram divulgadas durante a primeira Cúpula Global de Saúde Mental, realizada em Atenas, na Grécia.

“Os números da OMS mostram claramente que o peso da depressão (em termos de perdas para as pessoas afetadas) vai provavelmente aumentar, de modo que, em 2030, ela será sozinha a maior causa de perdas (para a população) entre todos os problemas de saúde”, afirmou à BBC o médico Shekhar Saxena, do Departamento de Saúde Mental da OMS.

Ainda segundo Saxena, a depressão é mais comum do que outras doenças que são mais temidas pela população, como a Aids ou o câncer.

“Nós poderíamos chamar isso de uma epidemia silenciosa, porque a depressão está sendo cada vez mais diagnosticada, está em toda parte e deve aumentar em termos de proporção, enquanto a (ocorrência) de outras doenças está diminuindo.”

Pobres

Segundo o médico, os custos da depressão serão sentidos de maneira mais aguda nos países em desenvolvimento, já que eles registram mais casos da doença e têm menos recursos para tratar de transtornos mentais.

“Nós temos dados que apontam que os países mais pobres têm (mais casos de) depressão do que os países ricos. Além disso, até mesmo as pessoas pobres que vivem em países ricos têm maior incidência de depressão do que as pessoas ricas destes mesmos países”, afirma Saxena.

“A depressão tem diversas causas, algumas delas biológicas, mas parte dessas causas vem de pressões ambientais e, obviamente, as pessoas pobres sofrem mais estresse em seu dia-a-dia do que as pessoas ricas, e não é surpreendente que elas tenham mais depressão.”

Segundo o médico, o aumento nos casos de depressão e os custos econômicos e sociais da doença tornam mais urgentes uma mudança de atitude em relação ao problema.

“A depressão é uma doença como qualquer outra doença física, e as pessoas têm o direito de ser aconselhadas e receber o mesmo cuidado médico que é dado no caso de qualquer outra doença.”

Gripe A H1N1

Fale com o Ministério

Antes de enviar sua mensagem consulte a seção Perguntas Freqüentes. Sua dúvida já pode estar respondida. Caso queira registrar uma reclamação ou denúncia preencha o formulário abaixo. Você também pode ligar para o Disque Saúde – 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.
disque saúde 0800 61 1997
Ministério da Saúde – Esplanada dos Ministérios – Bloco G – Brasilia / DF
CEP: 70058-900

Faxineira pediu que farmácia entregasse uma caixa de Gardenal. Medicamento foi trocado e a mãe, analfabeta, deu dose errada para filha.

Posted in CRIME, DIREITOS, EDUCAÇÃO, NOTICIAS, SAÚDE on 26 de Agosto de 2009 by os.maias

26/08/09 – 11h38 – Atualizado em 26/08/09 – 11h42

Justiça de MG condena farmácia a pagar R$ 12 mil por troca de remédio

Do G1, em São Paulo


O Tribunal de Justiça (TJ) de Minas Gerais condenou uma farmácia a pagar indenização de R$ 12 mil, por danos morais, após ter trocado um medicamento que a mãe de uma menina de 8 anos encomendou pelo sistema de entrega do estabalecimento, em Varginha (MG). A decisão foi tomada nesta terça-feira (25) e cabe recurso.

Segundo o TJ, a menina faz tratamento neurológico e toma o medicamento Gardenal pediátrico. A mãe da criança, que trabalha como faxineira, entrou com o processo em março de 2005.

No processo, a mãe informou que solicitou por telefone o medicamento, como fazia habitualmente. O motoboy foi até a casa dela e retirou a receita médica e, depois, trouxe uma caixa de Rivotril.

O TJ informou que a mãe, analfabeta, ministrou uma dose do remédio errado para a filha assim que recebeu a encomenda. A menina começou a passar mal, queixando-se de náusea e sonolência.

A faxineira costumava administrar 65 gotas de Gardenal para a filha e deu a mesma quantidade de Rivotril, remédio cuja bula prescreve apenas duas gotas para adultos. Segundo informações do processo, houve superdosagem. De acordo com a bula do Rivotril, a dose excessiva pode provocar parada cardiorrespiratória e coma.

A menina foi levada para o Pronto Socorro, onde passou por uma lavagem estomacal e tratamento para desintoxicação.

Gripe A H1N1

Fale com o Ministério

Antes de enviar sua mensagem consulte a seção Perguntas Freqüentes. Sua dúvida já pode estar respondida. Caso queira registrar uma reclamação ou denúncia preencha o formulário abaixo. Você também pode ligar para o Disque Saúde – 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.

Ciro Gomes pede volta da CPMF

Posted in DINHEIRO, DIREITOS, IMPOSTOMETRO, Luiz Inácio Lula da Silva, NOTICIAS, POLITICA, SAÚDE on 26 de Agosto de 2009 by os.maias





Entrevistas

Avaliação
Ótimo
7 votos

oAudios.ranking.show(“#ranking”);

Capa do CD

Ciro Gomes afirma estar inclinado a disputar eleições presidenciais de 2010

Em entrevista à Eldorado, o parlamentar do PSB cearense defendeu a recriação da CPMF sob o argumento de que o governo perdeu muita arrecadação com o fim do imposto.

OuvirPlaylist

Gripe A H1N1

Fale com o Ministério

Antes de enviar sua mensagem consulte a seção Perguntas Freqüentes. Sua dúvida já pode estar respondida. Caso queira registrar uma reclamação ou denúncia preencha o formulário abaixo. Você também pode ligar para o Disque Saúde – 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.

Valor de plano de saúde pode aumentar 10% devido a gripe suína

Posted in CRIME, GRIPE SUINA gripe A (H1N1) FLU, Luiz Inácio Lula da Silva, NOTICIAS, POLITICA, SAÚDE on 24 de Agosto de 2009 by os.maias
Segunda-feira, 24 de agosto de 2009 – 01h00

AFP Zoom Solicitações de exames tiveram aumento de 40%

Solicitações de exames tiveram aumento de 40%

Gianvitor Dias

economia@eband.com.br

O aumento de 10% nos gastos dos convênios médicos no tratamento de pacientes infectados pelo vírus H1N1 deve ser repassado ao consumidor ainda neste ano, segundo pesquisa feita pela Bencorp, empresa de consultoria de benefícios e riscos.

“As operadoras identificaram um aumento de 40% na procura nos pronto-socorros e, consequentemente, no número de exames solicitados. Não acredito que eles vão deixar qualquer diferença [prejuízo] passar em branco. Eu diria que vai ser muito difícil o reajuste ficar em apenas um dígito neste ano”, afirma Giorgio Antunes, sócio-diretor da empresa.

Procurado pelo eBand a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) informou que neste ano o teto de reajuste foi fixado em 6,75% para os planos médico-hospitalares individuais ou familiares firmados por pessoas físicas e contratados a partir de janeiro de 1999 – os chamados planos novos. A mudança de preço deve ser feita no aniversário do contrato do beneficiário.

A ANS ainda não soube informar se haverá aumento dos valores dos planos de saúde devido a nova gripe. Os testes de confirmação da doença não têm cobertura dos planos por se tratar de uma “doença nova”, segundo a agência. Apesar de disponível gratuitamente na rede pública, o exame que detecta a presença do vírus custa R$ 115 na rede privada.

No entanto, o consumidor deve estar atento quanto às despesas de internação prescritas no contrato – tais como UTI (Unidade de Terapia Intensiva), inalação e demais medicamentos que não sejam de controle do Ministério da Saúde, entre eles o remédio para combater a gripe suína, o Tamiflu.

“É importante que o consumidor saiba o que ele tem direito. O primeiro atendimento não pode ser negado”, disse Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Pro Teste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor).

Em caso de planos de saúde hospitalares, a internação, os medicamentos necessários e outros exames laboratoriais devem ser custeados pelo convênio. “A cobertura e o atendimento são necessárias e caso sejam negados, o consumidor deve entrar em contato com a ANS e com órgão de defesa do consumidor”.

( esse pais virou mesmo um bordel desgovernado !!!!!)

Gripe A H1N1

Fale com o Ministério

Antes de enviar sua mensagem consulte a seção Perguntas Freqüentes. Sua dúvida já pode estar respondida. Caso queira registrar uma reclamação ou denúncia preencha o formulário abaixo. Você também pode ligar para o Disque Saúde – 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.

Pesquisa do Instituto Butantan usa saliva de carrapato-estrela contra câncer

Posted in CIENCIA, SAÚDE on 14 de Agosto de 2009 by os.maias

Após 42 dias, tumores de camundongos tiveram reversão completa.
Trabalho já dura 6 anos e também extrai anticoagulante da substância.

Emilio Sant’Anna Do G1, em São Paulo

Foto: Instituto Butantan

Da saliva do carrapato-estrela (Amblyomma cajennense) podem sair novos medicamentos contra o câncer, além de anticoagulantes. (Foto: Instituto Butantan)

Da saliva do carrapato-estrela (Amblyomma cajennense), a ciência conhece apenas os efeitos nocivos. A febre maculosa, doença muitas vezes fatal, é transmitida pela picada do aracnídeo. Da mesma substância, porém, podem sair novos medicamentos contra o câncer, além de anticoagulantes. Há seis anos, pesquisadores do Instituto Butantan, em São Paulo, trabalham no desenvolvimento de uma droga que possa ser utilizada com as duas finalidades. O prognóstico é animador.

A pesquisa – ainda não publicada – foi um dos destaques no 22º Congresso Internacional da Sociedade de Trombose e Hemostasia, realizado em Boston (EUA), em julho. “Imaginávamos que a saliva do carrapato tivesse algum componente que inibe a coagulação, pois, como hematófago, precisa manter o sangue fluindo para se alimentar”, explica a farmacêutica Ana Marisa Chudzinski-Tavassi, coordenadora do estudo.

  • Aspas

    O Instituto Butantan não tem autonomia para assinar patentes e o processo burocrático é longo

Partindo dessa suspeita, a pesquisadora analisou a sequência de genes da glândula salivar do carrapato, responsável pela produção de uma proteína anticoagulante. Os resultados foram comparados à ação de anticoagulantes conhecidos como TFPI (presentes na saliva humana). A conclusão foi que a proteína presente na saliva poderia ser produzida em laboratório. Um pedaço do DNA analisado foi introduzido em bactérias Escherichia coli que passaram a secretar a mesma proteína. “Elegemos esse clone e produzimos a proteína recombinante”, explica Ana Marisa.

O resultado do estudo transformou-se em um pedido de patente, depositado em 2004, no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). No entanto, em pouco tempo, Ana Marisa descobriu que a pesquisa renderia mais do que um futuro anticoagulante.

Fatal para tumores, inofensivo para células normais
Testando a proteína em células de vaso sanguíneo para medir seu nível de toxicidade, descobriu-se que a substância é segura para células saudáveis, mas fatal para células tumorais. O experimento foi então extendido a camundongos que tiveram melanomas (câncer de pele) induzidos, e o resultado surpreendeu os pesquisadores.

Proteína tem atividade altamente citotóxica para células tumorais. (Foto: Instituto Butantan)

Tratados durante 42 dias com a proteína, os tumores dos camundongos apresentaram reversão completa. “Testamos em culturas de células tumorais e a surpresa foi positiva, pois a proteína tem atividade altamente citotóxica para elas e não para células normais”, explica Ana Marisa.

Algumas das explicações que os cientistas buscam agora são como funciona a ação pró-coagulante de alguns tipos de tumores – como o melanoma e o de pâncreas – e a inibição de mecanismos de divisão celular. “Essa relação é um grande achado, pois quando você retira sangue desses tumores pode ver ele coagular ainda na seringa”, diz a pesquisadora do Butantan.

Interesse da indústria x burocracia
O estudo segue em fase pré-clinica, ou seja, ainda passará por mais testes antes de ser aprovado para experimento em humanos, mas já despertou o interesse da indústria farmacêutica. Os laboratórios BioLab, Aché e União Química formaram um consórcio para a produção de futuros medicamentos que podem surgir a partir da descoberta.

Ana Marisa, no entanto, não demonstra otimismo. Segundo ela, o entrave burocrático para transformar a pesquisa de base em um produto desistimula os cientistas e impede que novos medicamentos cheguem ao mercado. “O Instituto Butantan não tem autonomia para assinar patentes e o processo burocrático é longo”, afirma. “Por outro lado, a indústria questiona por que investir em algo que não tem segurança jurídica.”

Gripe A H1N1

Fale com o Ministério

Antes de enviar sua mensagem consulte a seção Perguntas Freqüentes. Sua dúvida já pode estar respondida. Caso queira registrar uma reclamação ou denúncia preencha o formulário abaixo. Você também pode ligar para o Disque Saúde – 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.

Algumas escolas de Recife não se previnem contra a gripe

Posted in EDUCAÇÃO, GRIPE SUINA gripe A (H1N1) FLU, NOTICIAS, SAÚDE on 14 de Agosto de 2009 by os.maias

13/08/2009 – 15h59

Nova gripeA sua escola está se protegendo contra a nova gripe? Os alunos têm sabonete à disposição para lavar as mãos e já receberam informações sobre as formas de evitar o contágio da doença? Tomara que sim. Pena que as devidas precauções não são seguidas em todo o País.

Os 800 alunos de uma escola municipal na Zona Norte de Recife, por exemplo, estão sofrendo com as péssimas condições de higiene por lá. Os alunos foram orientados a trazer de casa a própria garrafinha de água – para não usarem o bebedouro público. Só que a iniciativa não resolve, porque as condições de higiene da escola estão longe do ideal. Nos lavatórios, não há sabonete. Álcool não existe. Aliás, nos banheiros, não tem nem papel higiênico.

Em outra escola pública de Recife, desta vez estadual, os alunos compartilham copos na hora de beber água. São apenas 300 copos para dividir por mil e 400 alunos. As crianças também não receberam nenhuma aula ou orientação sobre a gripe.

Com informações do G1.

Gripe A H1N1

Fale com o Ministério

Antes de enviar sua mensagem consulte a seção Perguntas Freqüentes. Sua dúvida já pode estar respondida. Caso queira registrar uma reclamação ou denúncia preencha o formulário abaixo. Você também pode ligar para o Disque Saúde – 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.

O álcool em gel é mais eficaz do que lavar as mãos com água e sabão?

Posted in GRIPE SUINA gripe A (H1N1) FLU, NOTICIAS, SAÚDE on 12 de Agosto de 2009 by os.maias

Ambos são seguros na prevenção de doenças, como a gripe suína, mas são necessárias algumas recomendações para quem opta pelo álcool em gel

Eliza Kobayashi (novaescola@atleitor.com.br)WriteAutor(‘Eliza Kobayashi’);

Lavar as mãos com frequência evita o contágio de doenças. Foto: Sheila Oliveira/ Empório Fotográfico
Lavar as mãos com frequência evita
o contágio de doenças. Foto: Sheila
Oliveira/ Empório Fotográfico

Com recente aumento dos casos de gripe A no Brasil, provocada pelo vírus H1N1, a demanda pelo uso de álcool em gel para limpar as mãos cresceu muito. As farmácias de todo o país têm abastecido suas prateleiras com o produto, que também está sendo adotado em escolas, empresas, agências de turismo e até mesmo nas praças de alimentação de shopping centers. Os profissionais de saúde recomendam a higienização frequente das mãos como uma das principais formas de evitar o contágio da doença. Mas será que o álcool pode substituir o bom e velho sabão? “Tanto o sabonete comum quanto o álcool em gel são eficazes para a limpeza das mãos e podem evitar a contaminação pelo vírus da nova gripe e outras doenças, como diarréias – que em alguns casos podem provocar surtos em escolas e creches – e todas as enfermidades de transmissão respiratória, como a influenza”, afirma a médica Ana Freitas Ribeiro, diretora da Central de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. Segundo ela, não há diferença de eficácia entre os dois métodos. “Entretanto, se houver sujidade aparente, é necessário lavar as mãos com água e sabão”, ressalta. Quem opta pelos sabonetes antissépticos têm ainda uma leve vantagem em relação aos comuns. “Eles apresentam ação residual, ou seja, permanecem ativos por mais tempo nas mãos”. Isso significa que a duração de proteção contra germes, vírus e bactérias é maior.

Para quem opta pelo álcool, a médica indica que a concentração alcoólica do produto deve ser superior a 70% para matar bactérias e vírus. “Além disso, para a limpeza das mãos, deve ser utilizado o álcool em gel, que contém substâncias que evitam o ressecamento da pele. Assim, o líquido deve ser usado somente para a limpeza de superfícies”. De acordo com Ana Freitas, o produto também possui ação residual, como os sabonetes antissépticos, mas lembra que, mesmo assim, é necessário higienizar as mãos com frequência, principalmente após tossir, espirrar e ter contato com superfícies, onde o vírus da gripe pode permanecer vivo por até oito horas. “A higienização também é recomendada antes de comer e depois de usar banheiros”.

Gripe A H1N1

Fale com o Ministério

Antes de enviar sua mensagem consulte a seção Perguntas Freqüentes. Sua dúvida já pode estar respondida. Caso queira registrar uma reclamação ou denúncia preencha o formulário abaixo. Você também pode ligar para o Disque Saúde – 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.