Archive for the Daniel Dantas Category

Prêmio EXTRA de Televisão 2008

Posted in A FAVORITA, ANA PAULA ARÓSIO, CIRANDA DE PEDRA, Daniel Dantas on 16 de Novembro de 2008 by os.maias

O mal cai bem: maioria dos indicados fez vilões

As vilãs estão com tudo no Prêmio EXTRA de Televisão 2008. Elas são maioria entre as personagens interpretadas pelas indicadas na categoria Melhor Atriz. Alinne Moraes, a desequilibrada Silvia de “Duas caras”; Patricia Pillar, a dissimulada Flora de “A favorita”; e Renata Dominguez, são as representantes do mal. O trio briga com duas mocinhas: Ana Paula Arósio, a Laura de “Ciranda de pedra”, e Claudia Raia, a Donatela de “A favorita”.
— Prêmio é sempre bem-vindo. Mas ser indicada já é uma delícia, já vale — diz Claudia Raia, ressaltando a importância de um prêmio que é decidido pelo telespectador: — A mim interessa cada vez mais o que o público acha.
Renata Dominguez, que está de férias no Peru, concorda com a colega:
— Fazemos novela para as pessoas de casa, então é importante e mais justo até que a escolha seja delas — diz a atriz: — Fico feliz em ter meu trabalho reconhecido.
Na categoria Melhor Ator, vilões também têm vez. Caso de Daniel Dantas, o Natércio de “Ciranda de pedra”, e Murilo Benício, o Dodi de “A favorita”.
— Fico muito feliz em ser indicado, pois deu muito trabalho construir o Dodi — comemora Benício. Edson Celulari, o Guilherme de “Beleza pura”, e Leonardo Brício, o Pedro de “Chamas da vida”, e Antonio Fagundes, o Juvenal Antena de “Duas caras”, estão no páreo.
— Me sinto honrado com a indicação, principalmente quando tem o público na jogada— diz Daniel Dantas.

(ANA PAULA ARÓSIO FEZ O IMPOSSIVEL : SER MÃE DE GAROTAS QUASE DA MESMA IDADE, E COM AQUELE ROSTO DE CRIANÇA, DEU CREDIBILIDADE A PERSONAGEM SEM SER CARICATA, MOSTRANDO MUITO TALENTO E COMPETENCIA, FAZER A DOIDA É FACIL, A MÁ … É QUASE BRINCADEIRA, MAS ATUAR NO PAPEL DE UMA MULHER MUITO MAIS VELHA, COM PROBLEMAS PISCOLÓGICOS … E SEM SER RIDÍCULA, SÓ PARA GRANDES ATRIZES , QUANTO A DONATELLA SIMPLESMENTE NÃO CONVENCE NEM SOFRENDO , NEM FELIZ … A CLAUDIA SEMPRE É EXAGERADA, ELA É BOA MESMO EM COMEDIA, IMPAGÁVEL O PAR QUE FEZ COM GIANE, O INESQUECÍVEL PASCOAL, NEM LEMBRO O NOME DA NOVELA.)

  1. Molheira Eterna Profissional Chef AllanMolheira Eterna Profissional Chef Allan R$90,00

Natércio tenta beijar Laura

Posted in ANA PAULA ARÓSIO, CIRANDA DE PEDRA, Daniel Dantas on 22 de Setembro de 2008 by os.maias

O vilão diz à esposa que eles ainda serão felizes juntos

Titulo da Matéria

Depois de internar Laura em um sanatório, Natércio vai visitá-la. Mesmo sedada, ela reage com medo ao marido, pois sabe que ele é capaz de qualquer coisa. Mas Natércio não fará mal a Laura na clínica, ele a tem como queria, sob controle. Tanto que depois de tudo o que fez e passou com Laura, ele ainda insiste em dizer que os dois são um casal.

Tentativa de beijo

“Nós ainda seremos muito felizes, Laura! Como não pudemos ser. Porque aquele ‘doutorzinho’ apareceu para confundir sua cabeça”, diz o vilão. Neste momento, Natércio se inclina para beijá-la, mas Laura cospe no rosto dele. Natércio se controla e encara a reação de Laura como efeito dos medicamentos: “Você continua perturbada. Mas isto também vai passar”.

As cenas estão previstas para ir ao ar na próxima terça-feira (23/09).

Posted in ANA PAULA ARÓSIO, CIRANDA DE PEDRA, Daniel Dantas on 26 de Agosto de 2008 by os.maias

‘Ciranda de pedra’: Natércio comprou Laura do pai dela

Paulo José vai fazer uma participação nestes capítulos finais de ‘Ciranda de pedra’ que servirá para elucidar uma parte da história de Alcides Nogueira. Ele viverá o pai de Laura (Ana Paula Arósio) numa cena de flashback.

Jogador inveterado, ele perdeu a fortuna _ e entregou até a filha _ para Natércio (Daniel Dantas). O casamento de Natércio e Laura aconteceu nestas circunstâncias. A depressão da personagem dela teria origem neste acontecimento.

Enviado por Patrícia Kogut –

25.8.2008

Melhores momentos do chat com Ana Paula Arósio e Daniel Dantas

Posted in ANA PAULA ARÓSIO, CIRANDA DE PEDRA, Daniel Dantas on 30 de Julho de 2008 by os.maias

….

Terça-feira, 22/07/2008

Os atores falaram sobre o casal Laura e Natércio e as próximas emoções da novela Ciranda de Pedra. Eles comentaram as semelhanças com os personagens e contaram sobre os bastidores das gravações.

Laura conta a Natércio que Daniel fez a operação

Posted in ANA PAULA ARÓSIO, CIRANDA DE PEDRA, Daniel Dantas, MARCELLO ANTONY on 21 de Julho de 2008 by os.maias

Sábado, 19/07/2008

Natércio diz que vai pagar a Daniel dez vezes o valor da cirurgia. Laura retruca que nem todo o dinheiro paga o mal que ele fez a Daniel.

“Eu lido bem com a traição”

Posted in ANA PAULA ARÓSIO, CIRANDA DE PEDRA, Daniel Dantas, REPORTAGENS on 13 de Julho de 2008 by os.maias

Daniel Dantas | 11/07/2008 19:49

“Eu lido bem com a traição”

O ator que vive seu primeiro vilão na TV, se diz triste e introspectivo, revela que já traiu e foi traído e afirma que tem dificuldade de lidar com pessoas burras

Valmir Moratelli

Roberto Shwenck

Daniel Dantas abre a porta de seu apartamento, na Gávea, bairro nobre do Rio de Janeiro, falando ao telefone. Repassa para alguém, do outro lado da linha, sua agenda do dia seguinte. “Acho que não tenho gravação amanhã. Podemos marcar a reunião mais pro final do dia, sem problemas”, diz. Mais um minuto e desliga o aparelho, abre as amplas janelas da sala, que dão vista para a mata da Pedra da Gávea, e se encaminha para o sofá de couro preto. Aos 53 anos e com boa parte de sua carreira televisiva calcada em papéis de homens traídos, tímidos e recalcados, Daniel vive atualmente o vilão Natércio Prado, em Ciranda de Pedra. Nesta entrevista, falou sobre sua identificação com o autoritarismo e as malvadezas do personagem, disse não concordar com o apelido de “lexotan ambulante” que lhe foi dado em alguns blogs na internet e conta o que mudou em sua vida ao saber, em 2006, que tinha um tumor cerebral. Três horas de bate-papo e seis xícaras de café depois, ele desabafa: “Acho que dei a entrevista mais tensa da minha vida. É que tenho pensado em muita coisa ao mesmo tempo”.

QUEM: Seu personagem em Ciranda de Pedra é prepotente, autoritário e ambicioso. O que você tem de parecido com ele?
DANIEL DANTAS
: Todo mundo tem uma reserva de possessividade, maldade. Inclusive eu. O personagem é apaixonado e cheio de certeza do que faz. Certeza e paixão são duas coisas muito perigosas. Grandes monstros da humanidade eram homens de certezas. Eu não sou uma pessoa autoritária. Muito pouco. Questiono muito as coisas, não tenho grandes certezas sobre a vida. Ruins são os atos e não a pessoa em si. O que vejo hoje em dia, como no Big Brother, é que estão estimulando esse hábito de julgar o tempo todo quem é mau e quem é bom. Não se deve julgar a pessoa, mas os atos dela.

QUEM: Você já destratou um fã?
DD
: Muito no começo, destratei. Estava numa crise, não me lembro o porquê. Estava entrando no prédio onde fazia análise e uma senhora cismou que tinha que falar comigo. Eu disse que não, porque estava atrasado e fui bem estúpido em poucas palavras. Numa outra ocasião, destratei um casal no teatro. Eles começaram a tirar fotos depois da peça, me mandando sorrir… Virei e falei: “Não me ordene, como se eu fosse um objeto da sua vida que você mexe de lá pra cá”. Eu tinha todo o direito de falar isso, mas poderia ter dito de uma forma menos agressiva.

QUEM: Qual foi a maior maldade que você já fez na vida?
DD
: (Pausa) Eu tenho duas ou três coisas que fiz, são coisas que me envergonham e não esqueço nunca. Mas não quero torná-las públicas. São coisas que eu lamento e não tem valor trazer isso à tona.

QUEM: Apesar de ter interpretado diferentes tipos no teatro, você costuma fazer papéis parecidos na TV, quase sempre homens tímidos ou traídos. Por quê?
DD
: Talvez eu atraia esse tipo de papel. É até mais difícil fazer papéis semelhantes, porque preciso procurar diferenças mais sutis. Minha obrigação de trabalho não é ficar variando, é fazer bem o que me propõem. Já vi atores que mudam completamente de visual e de estilo para viver um papel diferente, e fazem uma merda! Prefiro fazer bem dois papéis iguais.

Achei que o Romário não era uma boa pessoa. Depois me reconciliei ao percebê-lo como um triste. Me identifiquei um pouco com ele.

QUEM: Além do Natércio, que em Ciranda de Pedra é traído pela personagem de Ana Paula Arósio, você viveu outros homens traídos na TV. Isso não te incomoda?
DD
: Olha, um dos meus primeiros trabalhos na TV foi um corno, no especial Quem Ama Não Mata, em 1982. Um tempo depois, fiquei quatro ou cinco anos fazendo sempre cornos. Aí, falei: “Não quero mais. Estou ficando caracterizado como corno, e eles estão ficando cada vez piores. Quero comer alguém”. É preciso brigar de vez em quando.

QUEM: Na ficção, você é mais traído do que trai. E na vida real?
DD
: (Pausa) Não é muito nenhum dos dois, é bem pouco. É na mesma medida. Eu lido bem com uma traição. Até perdôo, dependendo do momento.

QUEM: Seu apelido na internet é “lexotan ambulante”, por sua aparência pacata. O que acha disso?
DD
: Não concordo com esse apelido. Não sou nada tranqüilo (anda de um lado para o outro da sala). Essa coisa da timidez tem a ver com minha introspecção. É óbvio que me chateio com críticas externas, mas o que me tira do sério sou eu mesmo. Me irrito com a minha burrice. Por isso, quando encontro gente mais burra do que eu, me irrito ainda mais.

QUEM: Por que você se acha burro?
DD
: Não é que eu me ache burro, acho que me expressei mal. Eu só não gosto de ter que conviver com pessoas que parecem saber muito menos do que eu, e para não sofrer desse mal procuro me cercar de pessoas inteligentes.

QUEM: Em 2006, você teve um tumor no cérebro e se submeteu a uma cirurgia. Teve medo de morrer?
DD
: Sim, mas tentei me assegurar de que estava nas melhores mãos. É um assunto superado. Tenho que fazer uma nova ressonância daqui a uns meses e depois outra em dois anos. Pelos resultados anteriores, já houve a recuperação.

QUEM: O que você aprendeu com esse drama?
DD
: Um susto como esse acaba te fazendo dar uma olhada na vida, tive um aumento de consciência da mortalidade. Parei e vi: “Opa, não tô aqui para sempre”. Mudei comigo mesmo, de forma sutil, mas importante. Passei a controlar as rédeas da minha vida, da minha carreira, com coisas cotidianas.

Estou ficando caracterizado como corno, e eles estão
ficando cada vez piores. Quero comer alguém.

QUEM: Você acredita em vida após a morte?
DD
: Eu gostaria muito, mas não. Acredito que haja forças e energias de várias espécies, e o máximo que a gente consegue é canalizá-las para nossas vidas. Mas não consigo acreditar num ser superior olhando para baixo e cuidando deste mundo todo.

QUEM: É verdade que você joga futebol?
DD
: É uma das coisas que eu mais gosto de fazer, umas três ou quatro vezes por semana. Jogo muito mal. Fui Flamengo a vida inteira, mas não tenho mais time. Quando passei a reparar mais na vida dos jogadores, me desestimulei com o futebol.

QUEM: Que jogador o fez pensar assim?
DD
: Romário. Primeiro, por uma questão de caráter. Achei que o Romário não era uma boa pessoa. Depois, me reconciliei com ele, ao percebê-lo como um triste. Aí, me identifiquei um pouco com ele. Hoje, tenho até admiração pela pessoa que é.

QUEM: Por que você se acha uma pessoa triste?
DD
: Tem algumas pessoas que enxergam o mundo como belo e triste. Acho que o Romário tem esse olhar, uma certa tristeza, de que o mundo não é nem perto do que deveria ser. Isso te permite ser mais tolerante com as pequenas falhas dos outros. Eu sou um pouco assim também.

Laura pergunta a Frau Herta quem a avisou sobre Natércio

Posted in Ana Beatriz Nogueira, ANA PAULA ARÓSIO, CIRANDA DE PEDRA, Daniel Dantas on 13 de Julho de 2008 by os.maias

Frau Herta responde que ligaram do hospital para a casa, mas Laura fica desconfiada.