Vaias em evento com a presença de Lula azedam relação entre Cabral e Lindberg

Presidente defende governador

Publicada em 02/09/2009 às 00h19m

Luiz Ernesto Magalhães e Maiá Menezes

Entre Cabral e Lindberg, Lula entrega um diploma a um dos formandos do projeto que ajudou beneficiários do Bolsa Família - Gabriel de Paiva

RIO – A julgar pelas reações ao encontro desta terça-feira em torno do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o governador Sérgio Cabral (PMDB) e o prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias (PT), dividiram pela última vez o mesmo palanque. Numa cerimônia, no Maracanãzinho – administrado pelo governo do estado -, Cabral foi vaiado pelo menos cinco vezes e responsabilizou o desafeto, em clima de guerra pré-eleitoral. Os dois, da base de Lula, são pré-candidatos à sucessão estadual em 2010.

– Não vou mais a nenhum evento do Lula em que o Cabral esteja. Toda vez que ele é vaiado, coloca a culpa em mim. Foi assim em Cabo Frio, Nova Iguaçu e hoje (nesta terça). Não tenho nada a ver com essa vaia – disse o prefeito, recém-operado da garganta.

Não vou mais a nenhum evento do Lula em que o Cabral esteja. Toda vez que ele é vaiado, coloca a culpa em mim


Incomodado com as vaias, Lula reclamou, na introdução do discurso, para cerca de 3 mil pessoas, sem citar Lindberg: ( Vídeo: presidente critica vaias durante evento no Rio )

– Não é justo, não é politicamente correto a gente vir para um ato público em que as pessoas mais pobres estão tendo uma pequena oportunidade de receberem o seu diploma e companheiros, com divergências políticas, virem vaiar alguém. E vaiar faz parte da manifestação democrática. Mas é uma coisa depreciativa num ato como esse – disse Lula, que entregou 1.954 diplomas do programa de qualificação profissional para beneficiados pelo Bolsa Família.

Lula: sucessor tem que ter ‘sentimento’

Lula, que disse preferir estar entre o povo do que entre “os mais famosos artistas do mundo”, afirmou que seu sucessor terá de ter “sentimento”.

– Vocês representam a cara de milhões de brasileiros, que estão vendo denúncia de corrupção todo dia. Ano que vem tem eleição, e é hora de o povo brasileiro levantar a cabeça e dizer: agora a gente tem que colocar gente lá que pelo menos tenha sentimento.

Lula conversa com Cabral tendo ao lado o ministro do Trabalho, Carlos Lupi. Ele defendeu o governador do Rio - Gabriel de Paiva

As vaias mais fortes no evento partiram de setores onde estavam integrantes com bandeiras da UNE, liderados pelo diretor Rodrigo Mondego, filiado ao PT:

– Soubemos que tinha esse evento e viemos da Uerj, onde estávamos ouvindo as demandas dos estudantes, para prestigiar. A situação do Rio está crítica em relação à educação.

O protesto ganhou eco entre os 931 formandos de Nova Iguaçu, que estavam na parte de baixo do ginásio. Cada diplomado levou dois convidados, levados por ônibus pagos por dez prefeituras da Região Metropolitana.

“Que papelão, hein?”, diz Cabral a Lindberg

A culpa é do governo dele, que não devia ficar inventando culpados para esconder sua falta de popularidade


Irritado, Cabral, que já fora vaiado há duas semanas em evento com Lula e Lindberg em Nova Iguaçu , desistiu de discursar. Se dirigiu a Lindberg, ainda no palanque, e disse: “Que papelão, hein?”. O prefeito, que saiu antes das outras autoridades, pela porta errada, revelou outra parte da conversa:

– O governador apontou para mim na frente de todos no palco e disse: eles vão ficar roucos como você. Foi a maior saia justa. Parte vaiou e outra não aplaudiu. A culpa é do governo dele, que não devia ficar inventando culpados para esconder sua falta de popularidade.

Em desagravo a Cabral, a executiva estadual do PT tentou acalmá-lo, dizendo que essa não é uma prática do partido. PT e PMDB são aliados. O governador reagiu, dizem testemunhas:

– Eu nunca fui vaiado na vida. Só em evento com Lindberg. Não entendo isso. Eu não sou mal educado com ninguém.

O presidente municipal do PMDB, Jorge Picciani, usou o episódio como munição contra as pretensões do petista.

– Essa já é uma questão patológica. Lindberg precisa de tratamento, porque tem muito ciúmes da relação do presidente com o governador.

Mais cedo, o presidente Lula esteve no velório do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) , Carlos Alberto Menezes Direito . O presidente lamentou a morte e decretou luto oficial de três dias. O ministro faleceu durante a madrugada no Hospital Samaritano devido a complicações no Pâncreas .

À noite, o presidente participou da abertura do 81º Encontro Nacional da Indústria da Construção, no Hotel Windsor, na Barra da Tijuca. Ele começou o discurso engasgando e tossindo, mas tranquilizou a plateia dizendo que não está com gripe suína .

Gripe A H1N1

Fale com o Ministério

Antes de enviar sua mensagem consulte a seção Perguntas Freqüentes. Sua dúvida já pode estar respondida. Caso queira registrar uma reclamação ou denúncia preencha o formulário abaixo. Você também pode ligar para o Disque Saúde – 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.
disque saúde 0800 61 1997
Ministério da Saúde – Esplanada dos Ministérios – Bloco G – Brasilia / DF
CEP: 70058-900

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: