Família acusa hospital de negligência em caso de morte por nova gripe

25/08/09 – 20h18 – Atualizado em 25/08/09 – 20h44

Gestante de 26 anos foi a primeira vítima da doença em Belo Horizonte.
Em nota, hospital informou que ela recebeu todos os cuidados indicados.

Do G1, com informações do MGTV

var midiaEmbed = { tema: “cinzaEscuro”, imagem: ‘/GMC/foto/0,,21759727-EX,00.jpg’ , banda: ‘TIPO_TXT’ , corFundo : “FFFFFF”, corFonte : “000000”, corLink : “FF00FF”, corBorda : “00FF00”, autoStart: false, midiaId: 1111407 }; var embed = new GMCEmbed(midiaEmbed); embed.print();

A Secretaria da Saúde de Minas Gerais confirmou, nesta terça-feira (25), 12 óbitos por causa da nova gripe no estado.

Veja o site do MGTV

A família da primeira vítima da doença na capital reclama de negligência no atendimento. Valquíria Melo de Carmo tinha 26 anos e estava grávida de oito meses. Ela morreu no Hospital Mater Dei.

Segundo a família, antes de ser internada, ela tinha procurado atendimento médico na unidade por três vezes. A jovem tinha sintomas de gripe e estava preocupada.

“Nós fomos lá três vezes, com a mesma médica. E nas três vezes, a médica só receitou remédio para febre. Remédios simples, que nós compraríamos em qualquer farmácia”, diz Marli Antônia de Melo, mãe de Valquíria.

Como não melhorava, a mãe contou que a jovem decidiu voltar ao hospital mais uma vez e insistiu. Segundo Marli, somente nesse dia a filha foi internada, já com pneumonia. Depois, os exames comprovaram que ela tinha sido vítima da nova gripe.

“Se tivesse sido antes, ela não teria pegado pneumonia desse jeito. Quando ela fez o raio-x, tinha um pedaço do pulmão dela tampado. No outro dia, tampou tudo”, diz Marli.

O hospital divulgou uma nota em que confirma que a jovem passou 28 dias em tratamento. A unidade informa que ela foi internada com problemas respiratórios agudos e que dois dias depois, com a piora do quadro, foi levada para o Centro de Tratamento Intensivo. Ainda de acordo com o hospital, no local, ela teria recebido todos os cuidados indicados para o caso.

Sobre os atendimentos antes da internação e a acusação de negligência, o hospital não se pronunciou. Na nota, esclarece apenas que, diante da piora da paciente, o parto foi antecipado para garantir a vida do bebê. A criança nasceu saudável.

Mas a família não se conforma com a morte da jovem. “É muito triste para uma mãe, na hora de ganhar o filho, acontecer isso”, diz Marli.

Segundo a Secretaria da Saúde, grávidas com sintomas de gripe pertencem ao grupo de risco e devem ter atendimento especial desde a primeira consulta. “No caso da grávida que tem sinais de risco, ela deve ser internada e tratada”, afirma Welfane Cordeiro Junior, da Secretaria da Saúde em Minas Gerais.

O nome da médica que fez os atendimentos não foi divulgado.

Gripe A H1N1

Fale com o Ministério

Antes de enviar sua mensagem consulte a seção Perguntas Freqüentes. Sua dúvida já pode estar respondida. Caso queira registrar uma reclamação ou denúncia preencha o formulário abaixo. Você também pode ligar para o Disque Saúde – 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: