Brasil vai emprestar US$ 1 bi para construção de metrô no Panamá

Terça-feira, 18/08/2009

Escolas públicas de quase mil cidades brasileiras não estão recebendo o dinheiro destinado à alimentação de alunos porque as prefeituras devem informações ao Ministério da Educação.

PANAMÁ, Panamá, 18 Ago 2009 (AFP) – O Brasil concederá uma linha de crédito de mais de US$ 1 bilhão ao Panamá para financiar a construção de um metrô na capital panamenha, informaram nesta terça-feira o presidente panamenho Ricardo Martinelli e o ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior brasileiro, Miguel Jorge.

A linha de crédito, que será concedida por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), financiará as obras e os equipamentos para o projeto do trem subterrâneo que visa à melhoria da rede de transporte urbano panamenha, uma das promessas de campanha de Martinelli.

“Falamos de um grande intercâmbio comercial e de investidores”, disse Martinelli, que recebeu o ministro no Palácio de Las Garzas, sede do governo.

O presidente e o ministro também anunciaram o aumento para 36 dos voos semanais da companhia aérea panamenha Copa Airlines para o Brasil.

O ministro brasileiro, que lidera uma delegação oficial e empresarial em visita ao Panamá, disse que várias empresas do Brasil querem investir neste país nas áreas de infraestrutura, transportes, alimentos e serviços, entre outras.

O Brasil também comunicou que a Embrapa, empresa brasileira de pesquisas agropecuárias, instalará um escritório no Panamá para troca de tecnologia nesse setor.

“Agora, Panamá e Brasil começam a se aproximar econômica, social e politicamente”, ressaltou o vice-presidente e chanceler panamenho Juan Carlos Varela.

“Desta forma, o Panamá segue se consolidando como centro de operações para a América Central e Caribe de corporações e empresas públicas da região”, acrescentou.

O ministro brasileiro visitou também o Palácio Bolívar, sede do Ministério das Relações Exteriores, onde são conservadas as atas originais do Congresso Anfictiônico do Panamá de 1826, convocado pelo libertador Simón Bolívar, e entregues pelo Brasil ao Panamá em 2000.

Alta programada de perícia médica do INSS é ilegal
(18/06/2008 10:53:00)

Dito instituto sofre de flagrante ilegalidade em vários pontos e sob diversos prismas

A Orientação Interna 138 de 05 de Maio de 2006 cria o instituto da alta programada como novo procedimento a ser adotado pelo setor de perícias médicas do INSS. No entanto, o dito instituto sofre de flagrante ilegalidade em vários pontos e sob diversos prismas.

O primeiro deles e talvez o mais importante refere-se à tentativa do órgão previdenciário em impor as suas orientações internas ao Poder Judiciário, inclusive no sentido da legalidade da aplicação da mesma, bem como para toda a sociedade, inclusive médicos e advogados, além dos empregadores e principalmente os empregados beneficiários deste sistema de previdência.

Ocorre, no entanto, que as orientações internas do INSS, bem como quaisquer outros regulamentos similares, não obrigam terceiros estranhos ao seu quadro funcional, por este motivo, em principio, não cabe a imposição destas a qualquer outra pessoa, física ou jurídica.

Cumpre ressaltar que os ditos comandos de obrigatoriedade da administração deste órgão público não pode invadir a esfera jurídica de terceiros estranhos ao seu quadro funcional.

Somente, portanto, são obrigados a referendar estas indistintas arbitrariedades do INSS os seus funcionários, que como quaisquer outros trabalhadores, sofrem influência dos seus chefes e possuem dever de obediência.

Por outro giro, cabe observar que os regramentos de uso interno da Autarquia Previdenciária não podem ter aplicação externa por completa afronta à legalidade, visto não se tratar de espécie normativa regularmente criada nos termos na Constituição Federal de 1988.

Segundo descreve a Lei Maior, somente o Poder Legislativo, no uso de suas atribuições legalmente estabelecidas, é que tem o poder de editar espécies normativas com força coercitiva perante a sociedade, por mais este motivo as orientações internas do INSS não possuem verdadeiro poder normativo.

Para os que acreditam que as ditas orientações possuem algum poder de comando, deve-se levar em conta o fato de que as mesmas foram produzidas de forma unilateral pelo órgão previdenciário, logo em flagrante afronta à democracia, que defende a pluralidade de idéias e o amplo debate.

As ditas normas, portanto, nada mais são que reflexo da ideologia daquele órgão previdenciário, sem que se tenha permitido qualquer possibilidade de diálogo ou mesmo de estudo junto aos representantes de classes acerca do tema.

Um ponto que vem sendo muito debatido na doutrina especializada é quanto à infração aos Direitos Fundamentais do ser humano, em especial em sua dignidade, visto que a Orientação Interna 138/2006 é autoritária ao impor a alta programada aos beneficiários de auxilio doença previdenciário e acidentário da forma que vem sendo feita.

Esta alta fere a dignidade do ser humano no momento em que estabelece prazo definido para o fim do recebimento do beneficio; é como se a incapacidade do segurado tivesse prazo determinado para o seu término, o que é inconcebível do ponto de vista médico.

O instituto mostra-se extremamente contraditório, visto que atesta quadro de incapacidade do beneficiário ao tempo em que descreve data predeterminada para a cessação da mesma, o que é ilógico visto ser impossível descrever com exatidão o fim do quadro doentio.

Segundo o INSS o instituto de sua criação não traz prejuízo ao segurado uma vez que há a suposta possibilidade de agendamento de nova perícia para prorrogação do benefício, o que não faz jus a verdade uma vez que são inúmeros os casos em que o segurado acometido de alguma moléstia não consegue agendar a sua perícia para data próxima ao do término da proteção beneficial e acaba por ficar desassistido e tendo que voltar ao trabalho por não estar recebendo o devido amparo previdenciário e possuir receio de ficar desempregado.

A conclusão a que se chega da perfunctória análise do instituto em questão é a de que o mesmo tem o condão de abalar ainda mais o segurado doente, desta vez de forma psicológica e emocional, visto gerar uma série de incertezas e inseguranças capazes de dificultar a recuperação do beneficiário ou mesmo de agravar tal situação.

Afora este ponto, observa-se que o dito instituto vai de encontro à Lei 8.213/91, que rege os Planos de Benefícios da Previdência Social, em especial no artigo 60, que descreve o direito ao benefício de auxílio doença “a contar da data do início da incapacidade e enquanto ele permanece incapaz”.

Esta alta estabelece data predefinida para “o fim da incapacidade” do segurado, afrontando vigorosamente a lei que gere o tema. Resta evidente que não há mais dúvidas quanto à ilegalidade do instituto em questão, seja do ponto de vista jurídico, seja do ponto de vista medico.

Trata-se, portanto, de verdadeira aberração criada pelo órgão previdenciário no intuito de, supostamente, diminuir os seus custos decorrentes do pagamento de benefícios, esquecendo-se que este é o seu dever junto ao segurado. O devido acolhimento do segurado é obrigação do sistema previdenciário, assim com do Estado, constitucionalmente definidos em 1988.

Fonte: Consultor Jurídico, 18 de junho de 2008 / por Verônica Chrithiane de Santana Andrade

Swine Flu Info
Gripe A H1N1

Fale com o Ministério

Antes de enviar sua mensagem consulte a seção Perguntas Freqüentes. Sua dúvida já pode estar respondida. Caso queira registrar uma reclamação ou denúncia preencha o formulário abaixo. Você também pode ligar para o Disque Saúde – 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.

Uma resposta to “Brasil vai emprestar US$ 1 bi para construção de metrô no Panamá”

  1. Hi, i think that i saw yyou visited my website so i came to “return the favor”.I’m attempting to find things to enhance my web site!I suppose its ok to use a few
    of your ideas!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: