Liminar suspende alta programada para benefício de auxílio-doença em Curitiba


Por: Conselho da Justiça Federal
Data de Publicação: 28 de julho de 2008

Links Patrocinados

google_ad_client = “pub-3230208523731980”; google_ad_width = 250; google_ad_height = 250; google_ad_format = “250x250_as”; google_ad_type = “text_image”; google_ad_channel = “7383918978”; google_color_border = “CCCCCC”; google_color_bg = “FFFFFF”; google_color_link = “333333”; google_color_text = “333333”; google_color_url = “333333”;google_protectAndRun(“ads_core.google_render_ad”, google_handleError, google_render_ad);

O Juiz Federal Substituto Vicente de Paula Ataíde Júnior, em exercício na Vara Federal Previdenciária de Curitiba, deferiu parcialmente pedido de medida liminar nos autos nº 2008.70.00.012705-0 para atribuir efeito suspensivo aos recursos administrativos interpostos pelos segurados beneficiários de auxílio-doença no Estado do Paraná, o que impede, por parte do INSS, o cancelamento de benefícios em razão do sistema de alta programada, enquanto não julgados os referidos recursos.

A Defensoria Pública da União ajuizou Ação Civil Pública na Justiça Federal, com pedido de liminar, para determinar ao INSS obrigação de não fazer consistente no impedimento da suspensão do benefício de auxílio-doença antes da constatação do efetivo fim da incapacidade laboral do segurado por meio de agendamento de nova perícia médica, respeitando-se os princípios do contraditório e da ampla defesa.

O INSS, por meio do Decreto nº 5.844/2006, instituiu o COPES – Cobertura Previdenciária Estimada (também conhecida como “Data Certa” ou “Alta Programada”) em que os médicos peritos atribuem um prazo para recuperação da capacidade laborativa causada por doença ou acidente, dispensando a perícia de retorno. Na decisão, o magistrado considerou que, em razão de os recursos administrativos cabíveis da “alta programada” não terem efeito suspensivo, haveria a cessação do benefício antes da realização de nova perícia a ser designada pelo INSS, o que causaria graves prejuízos aos segurados que seriam considerados aptos ao retorno ao labor sem o sê-lo.

A referida decisão deverá ser cumprida por todas as Agências de Previdência Social no Estado do Paraná. A íntegra da liminar pode ser consultada sob nº 2008.70.00.012705-0.

Swine Flu Info
Gripe A H1N1

Fale com o Ministério

Antes de enviar sua mensagem consulte a seção Perguntas Freqüentes. Sua dúvida já pode estar respondida. Caso queira registrar uma reclamação ou denúncia preencha o formulário abaixo. Você também pode ligar para o Disque Saúde – 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: