Interferência dos EUA contribui para terror na Índia; ouça diplomata

IAGO BOLÍVAR
colaboração para a Folha Online

A subida ao poder no Paquistão de Asif Ali Zardari, em setembro passado, e a ofensiva que se seguiu contra as áreas tribais em que se refugiam aliados do Taleban e da Al Qaeda criaram um ambiente de radicalização que pode ter contribuído para os ataques em Mumbai, na Índia, que mataram ao menos 148 pessoas.

É o que diz o diplomata Amaury Porto de Oliveira, coordenador para a Ásia do Grupo de Análise de Conjuntura Internacional (Gacint) do Instituto de Estudos Avançados da USP, ao analisar os fatores externos que influenciaram o terrorismo na Índia.

Arte/Folha Online
Mapa do Paquistão
Mapa do Paquistão

Para Oliveira, a ação militar e de inteligência dos EUA está na origem da desestabilização da área. Ele lembra que a eleição de Zardari, o viúvo da ex-premiê Benazir Bhutto, assassinada em 2007, aconteceu após a queda do ditador Pervez Musharraf –o mais recente de uma linhagem de aliados complicados dos EUA na região.

Nos anos 80, a CIA (agência de inteligência norte-americana) ajudou a insurgência islâmica que expulsou as tropas da União Soviética do território afegão. Apoiado pelos EUA na luta contra os soviéticos, Bin Laden acabou criando a Al Qaeda, enquanto o serviço secreto paquistanês ajudou a dar origem ao Taleban.

“Nunca mais os EUA conseguiram aplicar em relação àquela área uma política coerente, justa”, avalia o embaixador.

O grupo de Bin Laden, protegido pelos talebans que dominaram o Afeganistão, lançou-se em uma série de ataques a alvos ocidentais até o auge da agressão, em 11 de setembro de 2001. A invasão do Afeganistão em 2001 ajudou a desestabilizar a região ao norte da Índia, criando as condições para o crescimento do extremismo islâmico.

Para o diplomata, a reação dos extremistas islâmicos do Paquistão está além da questão da Caxemira, área de disputa entre Índia e Paquistão desde 1947, e da disputa interna no país entre a maioria hindu e a minoria muçulmana.

“Não é mais aquela simples luta entre Índia e Paquistão em torno da questão da Caxemira’, diz ele. ‘Está certamente ligada a toda a questão do Afeganistão, à política do governo [do presidente americano George W.] Bush de, afinal, enfrentar a questão dos terroristas, dos talebans asilados naquelas zonas tribais no Paquistão.”

“Eles passaram a atacar de dois meses para cá diretamente, a enviar helicópteros etc. Isso provocou uma resposta irada desses grupos”, afirma Oliveira.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: