Mar agitado no Rio registra ondas de até 2,5 metros no domingo

Para meteorologistas, mar agitado foi conseqüência de um ciclone extratropical em alto mar na Argentina

Pedro Dantas, de O Estado de S. Paulo


Componentes.montarControleTexto(“ctrl_texto”)

RIO – O mar voltou a ficar agitado com grandes ondas no Rio de Janeiro neste domingo, 27. O dia de sol levou milhares de pessoas às praias. Na de Itaipu, em Niterói (Grande Rio), as ondas chegaram a 2,5 metros e deixaram o Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros em estado de alerta. Na concorrida orla da zona sul do Rio, as ondas também alcançaram 2 metros de altura.

Fábio Motta/AE

A praia, uma enseada de águas normalmente tranqüilas, teve neste domingo dois casos de salvamento nos quais foi usado um helicóptero para resgatar as vítimas. Um banhista que andava de jet-ski ficou à deriva e também foi resgatado. Na orla da Zona Sul do Rio, poucos banhistas se arriscaram a entrar no mar. Na Praia do Leblon, as ondas, que chegavam a 2 metros, quebravam com força nas pedras, num espetáculo que reuniu curiosos no mirante.

De acordo com meteorologistas, o mar agitado foi conseqüência de um ciclone extratropical em alto mar na Argentina. “Os ventos fortes provocaram ondas que avançaram sobre o oceano e chegaram ao litoral sudeste. A tendência amanhã é de redução”, disse André Madeira, meteorologista do Climatempo.Segundo ele, a partir de quarta-feira, na véspera do feriado prolongado de 1º de Maio, o mar voltará a subir a por causa de uma frente fria, que também provocará chuvas.

Ele explica que a agitação do mar no Rio é normal entre maio e setembro, mas a antecipação do fenômeno não chega a causar espanto. Na semana passada, a agitação do mar causou ressaca na orla do Rio e invadiu a Baía de Guanabara, entre o Rio e Niterói.

O mar revolto causou a interrupção do tráfego de catamarãs entre Charitas (Niterói) e a Praça XV (Rio) depois que um acidente deixou pelo menos 17 feridos. A embarcação, com 237 passageiros a bordo, teve uma porta da proa arrancada pela rebentação transversal, que atingiu pessoas que estavam nas primeiras fileiras.

As vítimas, entre elas duas mulheres grávidas tiveram ferimentos leves e foram atendidas em ambulâncias. A Capitania dos Portos suspendeu a travessia na quinta-feira, dia do acidente e também no dia seguinte, quando as condições do mar permaneciam ruins.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: